Higinio Iglesias
CEO ebroker

Relatório publicado na revista Actualidad Aseguradora, de abril de 2020.

Que avaliação geral você faz sobre a tecnologia no dia a dia do mediador? O que você gosta nas ferramentas que temos? E o que deveria ser melhorado?

Uma empresa de mediação de seguros não é mais concebível sem um ambiente tecnológico voltado para reduzir os encargos administrativos, automatizando tarefas e processos. Esse é o desafio que o corretor de seguros está enfrentando atualmente, porque sua competitividade e posição no mercado dependerão disso.

O que as soluções tecnológicas fornecem para a implementação do EIAC? O que você acha que deveria ser melhorado?

A padronização é um dos caminhos que levam à eficiência em qualquer campo de atividade. O EIAC é um padrão que traz eficiência e produtividade às relações entre seguradoras e corretores. O último passo dado pelo EIAC em direção à centralização das operações através de um grande hub de operações sob infraestrutura de nuvem (CIMA) é um ótimo passo para, além de padronizar modelos de dados, padronizar também o ponto de acesso a informações e validação do mesmo. Isso é algo que alguns de nós exigem há muito tempo e, finalmente, estamos indo nessa direção e considero um sucesso.

Que iniciativas tecnológicas você proporia para melhorar o nível de eficiência na mediação?

Existe uma relação clara entre o tempo que os mediadores gastam em tarefas administrativas e o dedicado à atividade comercial; e também parece claro que este segundo é o que está disponível além do primeiro. A conclusão é clara: a eficiência de um mediador é dedicar mais tempo e recursos ao que contribui com mais valor ao seu negócio. A tecnologia deve preferencialmente ser um aliado do mediador para reduzir os encargos administrativos e liberar capacidades comerciais.

Tecnologia, primeiro para liberar recursos e, em seguida, tecnologia para interagir com nossos clientes.

Como a tecnologia contribui para o relacionamento e a lealdade do cliente?

O conceito de capacidade comercial não se refere apenas à atividade de vendas, por mais importante que seja, ao cuidado do relacionamento com nossos clientes. É por isso que temos que reduzir a carga administrativa para liberar as capacidades e recursos que nos permitem dedicar tempo aos nossos clientes e estabelecer laços de afeto que confiam em nosso relacionamento comercial. Tecnologia, primeiro para liberar recursos e, em seguida, tecnologia para interagir com nossos clientes.

Como a tecnologia pode ajudar a ser verdadeiramente omnichannel?

Hoje, a forma como interagimos com nossos clientes mudou pelo simples fato de que seus modelos de relacionamento social mudaram. O cliente mudou. A forma como produzimos uma boa experiência com o nosso cliente quando interagimos com ele, independentemente de o meio ser uma visita ao nosso escritório, uma chamada, um SMS, um whatsapp ou um tweet, é o que hoje se entende por omnicanal. O sistema tecnológico do mediador deve proporcionar essa capacidade de estabelecer relacionamentos omnicanal e, também em determinadas circunstâncias, automatizá-lo, pois essa automação reduz novamente a carga administrativa e proporciona eficiência.

Quais vantagens e desvantagens os multitarificadores apresentam? Você está preocupado que uma situação de monopólio possa ocorrer?

Multitarificadores são instrumentos cujo lugar é no reino da capacidade comercial. Facilitam de forma ágil a prospecção e contratação de preços para corretores e, se também estiverem bem integrados ao sistema de gestão, proporcionam alto grau de eficiência. No mercado multitarificador, uma oferta plural e uma competição saudável entre as operadoras são boas e necessárias. Acho que já existe um hoje e tenho certeza que no curtíssimo prazo haverá mais. Eu sei.

Como a tecnologia mudou seu dia a dia e como você espera que isso aconteça no futuro?

A tecnologia sempre foi o grande motor da mudança e, agora, através das redes sociais, deu grande poder a um cliente exigente, não-conformista e pouco leal; Portanto, o desafio para o corretor é contar com a mesma tecnologia para fornecer uma boa experiência ao consumidor, que será seu elemento diferencial, porque um produto é copiado, mas a experiência não é.

Baixe a entrevista completa